Comandante Rudolf Cramer

Rudolf Cramer Von Clausbruch, piloto da Lufthansa e, depois do Sindicato Condor, nasceu no dia 19 de setembro de 1900, em Hamburg, na Alemanha, Brevetou-se na aviação militar alemã em 1917. Posteriormente, ingressou na aviação comercial na Junkers Luftverkehr, em 1923 e no ano seguinte na Deutscher Aerolloyd ate 1926, quando ingressou diretamente na Lufthansa, criada pelo Aerolloyd. Chegou ao Brasil de navio no dia 31 de dezembro de 1926. “No dia seguinte – declarou em entrevista ao Sindicato Nacional dos Aeronautas (concedia o título de sócio honorário (22/12/1976) - 1 de janeiro de 1927, fui com o Dornier Wal, que ainda tinha a matrícula alemã D-1012, levar até Florianópolis o ministro Victor Konder e sua comitiva”. Este poderia ser o primeiro vôo da aviação comercial brasileira. A Revista Aérea Condor número 2 (ano VII – 1937), sob o título Mais um milioário da Condor – 10 anos de serviço, assinalou “mais um acontecimento digno de nota, contando-se, desde abril, mais um entre os milionários dos ares do Sindicato Condor. Trata-se do comandante Rudolf Cramer von Clausbrch, um dos mais antigos e experimentados pilotos-aviadores daquela empresa que, no vôo regular realizado no dia 15, de Belém a Recife, na altura da Paraíba, completou um milhão de quilômetros pervoados somente a serviço da Condor na América do Sul”. Naquele momento, sua quilometragem geral atingia 1.350.000, bem como “entre outros feitos aeronáuticos memoráveis, tomou parte saliente nos vôos de estudo à ilha de Fernando de Noronha, dos quais resultou, em princípio de 1934, a inauguração da famosa linha aérea transoceânica Condor-Lufthansa”. Além disso, implantou a linha de Penetração do Oeste, comandou a vinda do DO X, maior avião da época, desde Cabo Verde, na África até o Brasil e Estados Unidos. Fez a primeira linha da aviação comercial – Linha dos Patos – no Rio Grande do Sul, a bordo do aerobote Dorniel Wal D-1012. Segundo o comandante Aldo da Costa Pereira, “um extraordinário piloto, grande amigo, excelente companheiro e emérito boêmio. Mereceu, sem sombra de dúvidas, todos esses objetivos”.
Links: www.aeronautas.org.br, menu Divulgação & Cultura e www.aviacao.brne.info, crónicas).